Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2010

A MULHER PECADORA E SIMÃO, O RELIGIOSO

Gestos de Hospitalidade naquele tempo no Oriente

(Lucas 7: 36-50)


- Água para lavar os pés, os pés do hospede é lavado para que o mesmo se sinta a vontade e confortável.
- Um Ósculo, Beijo como sinal de Respeito e Estima;
- Óleo para unção, no sentido de desejar toda sorte de Benção (Sl. 23: 5)
- Simão, o Fariseu e a Mulher Pecadora.
- Simão:
Recusa-se a lavar os pés de Jesus e nem se quer oferece água para lavar, e nem ordena um dos seus servos 1para fazer isto.
- A Mulher Pecadora:
No lugar da água regar os pés do Mestre Jesus com Lágrimas e lava com suas mãos e com seus cabelos;
Simão:
Não Beija Jesus;
A Mulher Pecadora:
- Não beija o rosto, por não se achar digna, em compensação beija os pés inúmeras vezes, como sinal de humilhação diante de todos, arrependida de seus pecados.
Simão:
Nega o Azeite para ungir Jesus;


A Mulher Pecadora:
- Não Nega o Ungüento que é mais caro do que azeite, pois também serve para fins medicinais, ela despeja um vaso de azeite inteiro.
Resultado:
Simão: um pouco de…

Batismo com o Espírito Santo e com Fogo - parte II

“... Eu, na verdade, batizo-vos com água, mas eis que vem aquele que é mais poderoso do que eu, a quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias; este vos batizará com o Espírito Santo e com Fogo” (Lc. 3: 16).
                                      Jesus não Batizava ninguém com água (Jo. 4: 2) deixou esta tarefa para os homens, todavia Jesus Batiza com o Espírito Santo e com Fogo, é um trabalho em conjunto Jesus e o Espírito Santo Batizando.  Geralmente nos locais de Batismo ficam dois obreiros batizando as almas, neste caso Jesus e o Espírito Santo trabalham em parceria, para Batizar com Fogo. Este Batismo com Fogo é defendido no meio teológico como o Batismo no Espírito Santo, é o Dom de Variedade de Línguas.
“Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil... / ... e a outro a Variedade de Línguas, e a outro a interpretação de Línguas”. (1ª Co. 12: 7, 10)                                         Falar noutras Línguas, ou a Glossolalia (gr. Glossais lalo) …

Batismo com o Espírito Santo e com Fogo

Batismo com o Espírito Santo e com Fogo
“... Eu, na verdade, batizo-vos com água, mas eis que vem aquele que é mais poderoso do que eu, a quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias; este vos batizará com o Espírito Santo e com Fogo” (Lc. 3: 16).
Jesus não Batizava ninguém com água (Jo. 4: 2) deixou esta tarefa para os homens, todavia Jesus Batiza com o Espírito Santo e com Fogo, é um trabalho em conjunto Jesus e o Espírito Santo Batizando.Geralmente nos locais de Batismo ficam dois obreiros batizando as almas, neste caso Jesus e o Espírito Santo trabalham em parceria, para Batizar com Fogo. Este Batismo com Fogo é defendido no meio teológico como o Batismo no Espírito Santo, é o Dom de Variedade de Línguas.
“Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil... / ... e a outro a Variedade de Línguas, e a outro a interpretação de Línguas”. (1ª Co. 12: 7, 10) Falar noutras Línguas, ou a Glossolalia (gr. Glossais lalo) é falar numa língua que nunca aprendeu (1…

O Batismo de Jesus (Mt. 3: 13-17)

Em João 13: 15, Jesus pede para que façamos o que Ele faz, sigamos o seu exemplo em tudo. Caso Cristonão se batizasse como poderia ele cobrar de cada um de nós o Batismo? Cristo em tudo veio cumprir a Lei, um franco observador da Lei, ao contrario de muitos que se dizem Cristãos e não consideram mais o Antigo Testamento. Ele nos deixou o Batismo como um exemplo a ser seguido. Nele não havia pecado. Tem um fato muito curioso neste episodio, Cristo Jesus não inicia seu Ministério antes de ser Batizado nas águas. O Batismo é como se fosse um Compromisso Público nosso com Deus, a partir daí podemos nos preparar para realizar a sua Obra. Assistimos um Cristo que é Batizado no Jordão como qualquer um, sendo o Cordeiro do Mundo que tira pecados, em seguida vai para o Deserto se consagrar um pouco mais, depois de um período de quarenta dias de jejum e oração Ele saiu para expelir demônios, curar os enfermos, pregar o Evangelho, ressuscitar os mortos... 

a) -  Pa…

O Endemoninhado Gadareno (Mt. 8: 28-34/ Mc. 5:1-20/ Lc. 8: 26-39 )

Cristo o Libertador
                   A Província dos Gadarenos também conhecida como Terra dos Gerasenos, era um complexo de três cidades gregas, dentro do Território de Decápolis composta de 10 cidades, as três cidades da terra dos Gadarenos: Gadara, Gergesa e Gerasa, faziam parte desse grupo de 10 Cidades pagãs, a imensa maioria da população era gentílica. A Confederação de Decápolis ao nordeste da Palestina, inclui Damasco entre as dez Cidades.
                           Descendo do Barco lhe sai ao encontro um homem com espíritos imundos (Espíritos Imundos = Demônios = gr. Daimonion ou espíritos malignos), morava nos sepulcros. Os sepulcros eram locais impuros em todos sentidos, na terra dos Gadarenos, os sepulcros ficavam entre as cavernas à beira do lago da Galiléia. Provavelmente o endemoninhado sai de um desses sepulcros. Os moradores da região já haviam tentado prende-lo com grilhões e cadeias, mas as cadeias foram feitas em pedaços, e os grilhões em migalhas. Ninguém podia a…

A Ressurreição de Talita Cumi, filha de Jairo

      Tudo indica que Jesus foi para a Confederação de Decápolis apenas com a finalidade de expulsar os demônios. Retornando para o lado ocidental do Lago da Galiléia (Lago de Genezaré) encontrou uma multidão que o aguardava, esta multidão não estava preocupada com horário que ele voltaria ou não, também não se importava se ele viesse no outro dia. A Multidão era insistente e carente, esta multidão persistia em acompanhar Jesus onde ele fosse, porque sentia conforto em suas palavras, Paz com a sua presença, Jesus era tudo que eles queriam. Comparamos essa multidão como uma criança correndo ao encontro do Pai, ou querendo ser posta no colo da Mãe, uma multidão carente.
                      Chegando Jesus na margem, para surpresa de muitos estava ali um dos Principais da Sinagoga, por nome de Jairo, aguardando ansiosamente Jesus Cristo. Este Jairo não estava preocupado com as conseqüências que poderia sofrer entre os fariseus, ele lançou por terra toda barreira das tradições farisaicas…